Evolua no surf e realize as primeiras manobras!

Sempre desejou surfar ondas longas, aumentar a velocidade e salpicar os seus amigos com os magotes de água dos seus rollers?

Com este artigo, vai tornar-se perito em manobras, como executá-las para subir mais um patamar no seu estilo de surf e fazer de si O surfista do verão!!!

 

Antes de começar, talvez seja útil relembrar que a toma de velocidade é o elemento fundamental para experimentar as manobras seguintes.

A velocidade irá permitir-lhe surfar ondas mais longas, passar as “secções” (zona onde a onda tem tendência a fechar-se), ganhar amplitude, mudar de direção e repetir as suas primeiras manobras.

Vamos conhecer a nossa parceira técnica em surf, Heremoana Luciani, nos 5 vídeos de coaching.

 

 

Manobra n.º 1: o aumento da velocidade ou "pumping"



Para aumentar de velocidade, o surfista deve realizar “S” na onda, enquanto se concentra em 3 pontos essenciais: a flexão/extensão, a posição dos braços e o olhar.



aumentar-velocidade-surf-tribord

 

O surfista dobra-se (faz mais peso) na descida da onda e ergue-se de novo (faz menos peso) para voltar a subir

 

 

1. Flexão // extensão


 

Para gerar velocidade, é necessário efetuar movimentos de flexão e de extensão na onda. A flexão faz-se se da parte de cima da onda (em descida) para a parte de baixo da onda, tornando-se mais pesado.

A extensão destina-se a aligeirar o peso e é efetuada da parte de baixo da onda para a parte de cima da onda.

 

 

 

2. A posição dos braços

 

É necessário ter um máximo de velocidade com o melhor equilíbrio possível, mantendo os braços paralelos à onda.

As costas das mãos devem seguir a forma da onda.

 

3. O olhar

 

O olhar é a chave de todos os desportos de deslize: no surf, guia o corpo e orienta-o para a onda.

Para um melhor deslize, é necessário olhar para longe na onda e não para a extremidade da prancha.

 

 

Manobra n.º 2: o Bottom Turn



O bottom-turn é uma manobra que se efetua muitas vezes no início da onda, logo após o take-off.

A finalidade do bottom-turn backside é realizar uma viragem eficaz na parte de baixo da onda para se chegar à parte de cima da onda com um máximo de velocidade.

 

 roller-backside-tribord-surf-evoluir

 

1. Flexão (sobre os apoios)


É necessário realizar uma flexão sobre os apoios (os pés) enquanto se carrega nos calcanhares (fase de aumento do peso) para fixar a calha da prancha na água.

 

 

2. Olhar e equilíbrio dos ombros

O olhar é um ponto fundamental em todas as manobras de surf, guiando os ombros e o conjunto do corpo para a direção escolhida (aqui, a parte de cima da onda)

 

3. Diminuição do peso

A última fase do bottom-turn backside destina-se a diminuir o peso do corpo inteiro de modo a chegar à parte de cima da onda com um máximo de velocidade para efetuar uma manobra.

 

Para concluir, as fases 1 e 3 permitem gerar velocidade, enquanto a fase 2 destina-se a rodar todo o corpo.

 

 

Manobra n.º 3: o Roller

 

 

O roller é a manobra de surf por excelência, sendo que pode ser efetuado em todos os tipos de ondas. Contudo, quanto mais côncava for a onda, mais radical se torna o roller. Para efetuar um roller backside, é importante olhar bem para o ponto da crista da onda (parte de cima) onde se pretende executar a manobra.

 

 

 

roller-backside-tribord-surf-evoluir_0

 

 

São importantes três aspetos: o olhar, o aumento de velocidade e o equilíbrio dos ombros.

 

Como realizar um roller backside?



1. Gerar velocidade antes da manobra

 

O surfista deve ganhar o máximo de velocidade para conseguir fazer um rollerbackside.

Com efeito, é necessário o máximo de velocidade para se lançar de novo na onda.

 

2. O olhar

 

É importante olhar para a parte da onda na qual se deseja fazer o roller. O olhar é igualmente importante durante e depois da manobra.



 

3. O equilíbrio dos ombros

 

O equilíbrio dos ombros decorre do olhar, sendo necessário na realização do roller. Este equilíbrio dos ombros permite contribuir para a transferência de peso exigida pelo roller. Ou seja, o apoio nas derivas da parte de cima da onda e a diminuição do peso no final da manobra.

 

 


 

Manobra n.º 4: o Cutback backside

O cutback é uma manobra incontornável e uma das mais bonitas em termos estéticos, que exige uma certa amplitude.

Trata-se de efetuar uma espécie de 8 descrevendo uma “marcha atrás” no coração da onda, no ponto onde há mais potência.

O cutback efetua-se mudando duas vezes de direção.







 cut-back-aperfeiçoamento-surf-tribord



É importante prever a manobra antes de realizá-la, ou seja, saber até onde irá levá‑lo a sua prancha.

 

 

Como realizar um cutback?


 

1. Para realizar da melhor forma o seu Cutback, a primeira viragem deve ser longa, para conservar a velocidade necessária na segunda viragem.

Para tal, é necessário diminuir o peso e subir o corpo na parte de cima da onda para efetuar uma viragem no topo desta, antes de voltar para o interior da onda.

Logo que possível, o olhar deve alcançar o local da segunda viragem.

 

2. Depois de efetuado o retorno ao interior da onda, basta descrever uma meia-volta equilibrando os braços no sentido da onda.

Neste momento da manobra, o corpo apresenta-se devidamente fletido e os ombros perpendiculares aos pés.

 

3. Realizada a meia-volta no interior da onda, é necessário realizar um movimento de flexão para fazer peso e retomar a velocidade.

 

 

Manobra n.º 5: o re-entry



O re-entry é uma manobra que se realiza no final da onda, quando esta se vai fechar.

Permite efetuar um último "move" com estilo, antes de se deixar levar pela espuma e/ou apanhar uma nova onda.

 

 

re-entry-evoluir-tribord-surf

 

Tal como sucede nas manobras anteriores, tem de se concentrar em 3 pontos fundamentais, que são:

 



1. Flexão // extensão



Quando se encontra na parte de baixo da onda, relaxe para fazer menos peso e subir a onda enquanto conserva o máximo de velocidade. Dobre-se para baixar o centro de gravidade e realizar uma meia-volta enquanto se mantém o mais estável possível sobre os apoios.



2. O olhar



O olhar arrasta o resto do corpo (sobretudo os ombros) quando se encontra na parte de baixo da onda. Assim, fixe-se no ponto onde irá tocar na crista da onda para fazer um Re-entry. Quando na parte de cima da onda, rode a cabeça e fixe o olhar no local de receção.



3. O equilíbrio dos ombros



Quando chega à parte de cima da onda (na crista), a sua cabeça vira-se para olhar para o local de receção. Neste momento, os seus ombros e o resto do corpo devem seguir o olhar para que consiga virar-se rapidamente sem perder o equilíbrio e cair.



4. Receção



Não se esqueça de se inclinar para trás para a receção, evitando, deste modo, o enfiamento do nariz da prancha.

 

 

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Validação
HAUT DE PAGE