Como se proteger do sol: o guia da proteção solar

Como se proteger do sol? Aqui está a totalidade dos nossos conselhos aqui reunidos.



Redigimos, em parceria com a Liga Contra o Cancro, o guia da proteção solar para que possa aproveitar o sol em total segurança. Quando chega a altura de pensar em preparar a mala para as primeiras saídas ao sol, chega também a altura de pensar em proteger-se dos raios ultravioleta. Tanto o seu corpo como o dos seus filhos têm de ser eficazmente protegidos para evitar as queimaduras e os escaldões, que podem ser dolorosos.



Segue-se uma síntese do guia proteção solar “10 conselhos para aproveitar o sol em total segurança”, o qual pode descarregar na íntegra clicando aqui: Guia de proteção solar

 

1. O sol é indispensável para a vida

Uma exposição de alguns minutos por dia é suficiente para influenciar a nossa moral, bem como o nosso bem-estar. O nosso organismo precisa de sol para sintetizar a vitamina D ao atuar no nosso capital ósseo e para fixar o cálcio e o fósforo. Ações indispensáveis para as crianças.

 

 

 

2. Quais são os riscos?



Após uma exposição não protegida ao sol, corre o risco de sofrer queimaduras, escaldões e um envelhecimento acelerado da pele. Isto traduz-se por manchas escuras ou claras, pequenas cicatrizes brancas em estrela, secura da pele, surgimento de rugas e espessamento da pele.

Um escaldão é uma queimadura da pele. É necessário tratá-lo como tal. Aconselhe-se com o seu farmacêutico para que receba um tratamento adequado.

 

3. Os diferentes tipos de pele

 

 

Algumas pessoas são mais sensíveis do que outras aos raios UV. Cada pele é diferente. Em função da sua cor, ela é mais ou menos sensível ao sol (fotótipo).

Qualquer que seja o tipo de pele, a proteção adequada depende da intensidade dos raios UV, da duração da exposição e da atividade praticada.



 

Extremamente sensível (fotótipo 1).A sua pele é muito clara, frequentemente com manchas de sardas. Sofre de escaldões com extrema facilidade e nunca se bronzeia ou bronzeia-se com muita dificuldade! Não tente bronzear-se: proteja-se.

A exposição solar é vivamente desaconselhada entre as 12h e as 16h*.

É indispensável uma proteção máxima: roupas, chapéu, óculos e creme solar de muito alta proteção (IP 50+).
Sensível (fotótipo 2). A sua pele é clara, por vezes com manchas de sardas. Sofre de escaldões com facilidade e bronzeia-se com dificuldade. Não tente bronzear-se. Proteja-se.

A exposição solar é vivamente desaconselhada entre as 12h e as 16h*.

É indispensável uma proteção máxima: roupas, chapéu, óculos e creme solar de muito alta proteção (IP 50+).

 
Pouco sensível (fotótipo 3). A sua pele é ligeiramente mate. Sofre dificilmente de escaldões e bronzeia-se facilmente.

É-lhe possível adquirir um ligeiro aspeto bronzeado. Contudo, a exposição solar é desaconselhada entre as 12h e as 16h* sem uma proteção completa: roupas, chapéu, óculos e creme de de alta proteção (IP 30 e 50).

 
Bastante resistente (fotótipo 4 e 5). A sua pele é mate a muito mate, quase nunca sofre de escaldões e bronzeia-se com extrema rapidez.

Você tolera bem o sol. Exponha-se ao sol muito progressivamente.

Especialmente nos primeiros dias, evite expor-se ao sol entre as 12h e as 16h* sem uma proteção completa: roupas, chapéu, óculos e creme de proteção média (IP 15, 20 e 25).
As peles negras (fotótipos 6) estão naturalmente protegidas dos efeitos prejudiciais do sol. Contudo, não se esqueça de proteger as zonas mais claras (palmas das mãos e plantas dos pés). O uso de óculos é sempre recomendado.

Você tolera muito bem o sol. Especialmente nos primeiros dias, evite expor-se ao sol entre as 12h e as 16h* sem uma proteção completa: roupas, chapéu, óculos e creme solar (IP 6 a 10).

 

4. Expor-se ao sol de forma razoável

 

Para que se exponha ao sol da melhor forma possível, é vivamente aconselhável expor-se ao sol de modo extremamente progressivo. No primeiro dia, 10 minutos são suficientes para preparar a sua pele.

Limite ao máximo a exposição  das crianças até aos 15 anos, porque têm uma pele mais sensível do que a dos adultos. No caso dos bebés, o único conselho é nunca expô-los ao sol!



Os escaldões na infância e as exposições solares intermitentes e intensas aumentam o risco de desenvolvimento de um cancro da pele na idade adulta.



 

5. Proteger-se do sol

 

Independentemente do local onde se encontra (cidade, mar ou montanha), é importante proteger-se dos efeitos prejudiciais do sol. O ideal é cobrir-se com roupas adequadas, um chapéu de abas largas e aplicar creme solar nas partes expostas do corpo.

 

a. Roupas

A melhor das proteções contra o sol baseia-se, como tal, no vestuário. Use roupas compridas, amplas e permeáveis à transpiração, como camisas de mangas compridas e calças em linho ou algodão.

Cuidado! Nem todos os tecidos protegem do sol. Apenas os tecidos com malha apertada e que respeitam as normas europeias de proteção solar conferem uma proteção eficaz. Assim, privilegie ao máximo, tanto para as crianças como para si, as T-shirts anti-UV ou os tops com proteção solar que continuam a ser eficazes mesmo quando molhados.



b. Chapéu

O chapéu de abas largas que tapa a nuca e as orelhas deve ser preferido para uma proteção ideal.



c. Óculos de sol

À beira da água ou na montanha, os olhos ficam mais expostos devido ao fenómeno de reverberação. É, pois, indispensável proteger os seus olhos, bem como os das crianças.

Preste atenção à cor dos óculos e à categoria das lentes: consulte o Guia da proteção solar



d. Os produtos solares

Os cremes solares são usados em todas as exposições ao sol e não apenas na praia. O creme solar deve ser escolhido em função do seu fotótipo.

 

 

Categoria Índice de proteção Fotótipo
Fraca proteção 6, 10 Pele extremamente mate
Média proteção 15, 20, 25 Pele bastante sensível
Alta proteção 30, 50 Pele sensível
Muito alta proteção 50+ Pele extremamente sensível

 

Atenção! Todos nós temos tendência para aplicar uma camada de creme inferior à utilizada em laboratório. É por este motivo que não deve hesitar em utilizar um produto de alta proteção.

Não se esqueça de proteger as crianças: a pele dos bebés e das crianças é mais sensível, porque é mais fina do que a dos adultos e as suas células não possuem a capacidade de reparação necessária para enfrentar escaldões repetidos.

6. Cuidado com as ideias falsas



-Toda a gente pode bronzear-se?

-As horas mais quentes do dia são as mais perigosas?

-Não vale a pena proteger-se quando já está bronzeado?

-O creme permite uma exposição mais longa ao sol?

-Os banhos protegem do risco de escaldão?

-Uma peça de roupa molhada protege tanto quanto uma peça de roupa seca?

-As pessoas de pele mate ou muito mate não precisam de se proteger do sol?



 





7.Desconfie:

 



Do sol a meio do dia (12h – 16h)

Da reverberação

Das nuvens, do vento e da frescura

Da altitude



 



 

8. As preparações inúteis antes da exposição



-As sessões de UV:

Ao contrário do que se poderia pensar, as sessões de UV não preparam a pele para o sol. Este exercício acaba mesmo por reforçar o efeito cancerígeno das exposições prolongadas ao sol.



-Os produtos autobronzeadores:

Os produtos autobronzeadores atuam apenas nas células mortas da camada córnea da pele. Isso explica a sua ação limitada a 4-6 dias.



-Os aceleradores de bronzeamento:

Determinados óleos à base de monoi ou gordura não têm um filtro protetor e aumentam os efeitos prejudiciais do sol.



-Os suplementos alimentares:

Os suplementos alimentares não protegem dos raios UV e não substituem um consumo de frutos e legumes da época.



Tenha também cuidado com os medicamentos, os desodorizantes e os perfumes!

Podem provocar alergias, causar uma fotossensibilização ou queimaduras graves na sequência de uma exposição.







9. Coloque todas as cartas do seu lado

 

-Beba muita água!

-Coma de forma equilibrada!

-As vitaminas dão um aspeto saudável!

-Seja ousado na cor com alimentos ricos em beta-caroteno!

-O meu cocktail de pele de pêssego!





Para conhecer todos os detalhes, clique aqui: Guia da proteção solar



 

10. Preste atenção aos sinais da pele



Examine regularmente a sua pele:

Uma ferida, uma borbulha, uma crosta e até um sinal devem ser vigiados com atenção. Qualquer modificação persistente da pele deve levar a uma consulta com o dermatologista.



 



Sobretudo as pessoas de fotótipo 1 e 2 e as pessoas com muitos sinais devem ser regularmente vigiadas.

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Validação
HAUT DE PAGE