Como escolher a lastração de mergulho?

Escolher corretamente a sua lastração de mergulho no snorkeling, caça submarina e apneia

A lastração em mergulho deve ser escolhida em função do seu fato e da profundidade até à qual deseja progredir. Pelo menos no que se refere à caça submarina / apneia.

De um modo geral, é aconselhável usar o equivalente a 1/10 do respetivo peso quando se veste um fato com 5 mm de espessura, na água do mar e equipado com uma garrafa de 12 l. Esta referência está na base da progressão consoante o fato e a prática.

Deste modo, o alvo são três níveis de flutuabilidade:
> flutuabilidade positiva: flutuo;
> flutuabilidade negativa: afundo-me;
> flutuabilidade neutra: estou em situação de leveza na água, não me afundo.

Atenção: quanto mais fundo mergulhar, mais o seu fato se comprime. O que gera, logicamente, uma perda de flutuabilidade e uma redução da proteção térmica.

A escolha da lastração em função da atividade

 

LASTRAÇÃO PARA O MERGULHO COM GARRAFA

O que influencia a escolha da lastração?
> Você próprio: tanto a sua fisiologia (peso) como o seu índice de massa corporal (peso/tamanho).
> A água na qual progride:
              - água do mar: maior flutuabilidade. Em água salgada, terá de transportar mais lastração do que em água doce;
              - água doce: menos flutuabilidade.
> O fato: consoante a espessura deste último, flutuará mais ou menos.
> O peso da garrafa: o ar contido na garrafa é também um fator a tomar em linha de conta! Quanto mais ar da garrafa for consumido, mais leve esta se torna e mais a flutuabilidade tende a tornar-se positiva (flutuo).

De um modo geral, não se esqueça deste resumo: quanto mais espesso for o seu fato, mais se faz sentir o efeito de flutuabilidade e mais a lastração deverá ser consequente.

LASTRAÇÃO PARA O SNORKELING

O que influencia a escolha da lastração?
> O tipo de água: em água salgada, terá de transportar, mais lastração do que em água doce;
> O fato de neopreno usado;
> A sua fisiologia.

Contudo, no snorkeling, terá de optar por uma lastração muito leve de forma a conseguir progredir mais facilmente debaixo de água. Além disso, só é necessária uma lastração quando deseja fazer apneias.
 

LASTRAÇÃO PARA A CAÇA SUBMARINA/APNEIA

O que influencia a escolha da lastração?
> O tipo de água;
> O fato de neopreno usado;
> A sua fisiologia;
> A profundida a que deseja progredir;
> A sua capacidade técnica e domínio da prática.

É obrigatório usar lastração para enfrentar a flutuabilidade positiva. Mas, cuidado, para não transportar demasiada lastração… nesse caso, poderá dar por si “preso”: terá bastantes mais dificuldades para subir e poderá colocar-se a si mesmo em perigo.

Quanto mais fundo mergulhar, menos lastração terá de colocar à superfície e mais esforço terá de fazer para entrar na água.

Regras de segurança da lastração:

> No snorkeling e na caça submarina, é sempre necessário fazer um mergulho de ensaio para testar a lastração. É aconselhável começar com poucos chumbos e ir adicionando-os até atingir a flutuabilidade neutra.
Como é que se sabe quando se está na flutuabilidade neutra? Existe um índice: quando se encontra à superfície, em posição vertical e respirando normalmente, a superfície da água deve chegar a meio da máscara.

> Conhecer os seus limites:
- Em termos de resistência debaixo de água (“aquacidade”);
- Quanto tempo consegue permanecer debaixo de água;
- O seu à vontade na água.

> Ter um material que favorece a sua segurança: dispor, por exemplo, de um cinto com chumbos, com fivela fácil de colocação/remoção rápida.
 

Os diferentes tipos de cintos de lastração

> Os tipos de fivela:
- Um cinto com fivela de plástico resiste menos bem ao desgaste e à tendência para se abrir por si só com o tempo.
- Um cinto com fivela de metal resiste melhor ao desgaste.

> Os tipos de materiais:

- Cinto de polipropileno (tipo nylon): extremamente resistente, durável no tempo
- Cinto de borracha: os chumbos mantêm-se no lugar inicial porque aderem extremamente bem ao material do cinto. Desvantagem: é mais frágil do que os cintos de polipropileno.
- Cinto marselhês: do tipo cinto normal com fivela de picos. Destina-se aos mergulhadores experientes porque é mais difícil de largar.
- Cinto com bolsas: mais confortável e permite colocar os chumbos.

Os acessórios de lastração:

> O colete de caça divide melhor o peso na parte superior do corpo (ombros e costas). Permite evitar dores a nível das ancas e dos rins. Facilita a imersão (mergulho à pato).
Atenção: o colete não substitui o cinto mas contém descarga para distribuir de forma ideal a lastração utilizada.
> Chumbos de tornozelo: 500 g de um modo geral.
> As fixações de pesos (travões) permitem ligar os chumbos entre eles. Tal evita que se mexam enquanto progride debaixo de água.

Os diferentes tipos de chumbo:

> Chumbos standard: menos dispendiosos mas mais brutos e, logo, menos resistentes e mais frágeis. Contudo, estes chumbos não são adequados para os principiantes.
> Chumbos revestidos: chumbos padrão revestidos de plástico. Estes chumbos respeitam mais o ambiente, sendo mais resistentes e disponíveis por um preço mais baixo.
> Chumbos que não utilizam “chumbos”:
- Materiais de metal revestidos de tinta antioxidante;
- Chumbos macios em bolsas: esferinhas de chumbo contidas em bolsas. Mais prático, este tipo de material permite colocá-las em cintos com bolsas. Ocupa menos espaço e revela-se mais confortável.

Ver os cintos de lastração
Ver as boas de ajuda à flutuabilidade

Atenção: para uma maior segurança, vale mais a pena ter chumbos a menos do que chumbos a mais.

A regra abaixo irá ajudá-lo a fazer a sua escolha. Atenção, estas medidas são meramente indicativas.

 

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Validação
HAUT DE PAGE